FKCompany
Author Image
Postado Por Drakkovich
0000-00-00 00:00:00

Liga de e-Sports nos Ensino Médio e Universitário no Brasil

 

Anteriormente, escrevemos em nossa fan page sobre como estava sendo tratada a Liga de e-Sports nos Ensino Médio e Universitário na Oceania.

“Enquanto tanto se fala sobre e-Sports serem ou não serem considerados esportes tradicionais, a Nova Zelândia - para variar - saiu na frente e já criou a primeira Liga de E-Sports no Ensino Médio, a HighSchool League.

250 estudantes em 50 times começaram esta semana uma sequência de partidas que deve durar 12 semanas. Os times de cinco jogadores são oriundos de colégios e escolas do high school de várias cidades e províncias, e vão competir no game League of Legends.

O torneio é organizado pela Federação de e-Sports da Nova Zelândia em parceria com a Lets Play Live, uma empresa especializada em eventos desse tipo. Segundo os organizadores, a parte mais difícil de todo o processo foi convencer as pessoas de que e-Sports são uma prática esportiva.”

Mas, é hora de falarmos sobre como esse tema vem sendo tratado no Brasil.

No Brasil, estamos percebendo que desde 2016, algumas instituições estão focando nesse cenário, promovendo e desenvolvendo o esporte eletrônico. O Ministério dos Esportes, através da Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU), é uma dessas instituições. A edição dos Jogos Universitários Brasileiros - JUBs de 2016, realizada em Cuiabá, teve a primeira inserção de e-Sport com o jogo de futebol virtual FIFA2016. Já na edição de 2017, além do FIFA, também foi inserido do jogo League of Legends.

O Torneio Universitário de e-Sports – TUES, criado pelo engenheiro de produção Tomás Macul, também é outro grande incentivador de e-Sports no Brasil. Em sua primeira edição, realizada no ano passado, o TUES contou com as franquias de League of Legends, Counter-Strike: Global Offensive e HearthStone, FIFA e Clash Royale. Um diferencial do evento é a transmissão dos jogos pela Twitch, e os prêmios para vencedores podem chegar até a viagens para Europa.

Podemos também observar que o cenário de esporte eletrônico vem ganhando espaço dentro das universidades. A iniciativa partiu dos próprios universitários que se mobilizaram para criar uma atmosfera de competição acadêmica. As universidades perceberam que abrir espaço para os jogos eletrônicos funciona como incentivo para os alunos se manterem no meio acadêmico. Algumas universidades já estão disponibilizando laboratórios de informática como espaço para os estudantes praticarem suas competições. É evidente que os e-Sports em breve se tornarão uma tendência dentro das universidades, pois é um excelente caminho para divulgar o nome da instituição.

O blog G1 de Minas publicou recentemente uma matéria sobre a Liga Universitária de e-Sports, que conta com as franquias de LoL, CS:GO e Fifa: http://globoesporte.globo.com/mg/sul-de-minas/noticia/2016/09/liga-universitaria-de-e-Sports-e-lancada-com-torneios-de-lol-csgo-e-fifa.html

Subindo o continente, como está o assunto nos EUA?

O WFSB é quem nos traz a boa notícia de que Connecticut é o primeiro estado da nação norte-americana a reconhecer os esportes eletrônicos, dando visibilidade os atletas universitários que muitas vezes podem ser ignorados. A Conferência Atlética Interescolar de Connecticut tomou a frente ao oferecer atletas de e-Sports da mesma forma que eles oferecem de futebol, basquete e etc.

Em entrevista com o site, Tyler Schrodt que é o CEO da Electronic Gaming Federation, considerada a NCAA de e-Sports por alguns, disse:

"Nosso objetivo é ajudar a criar o mesmo caminho de carreira que você vê nos esportes tradicionais, nos esportes eletrônicos, entre o nosso ensino médio, a liga da faculdade e nossos relacionamentos com muitas das equipes profissionais.”

ð  National Collegiate Athletic Association ou NCAA é a entidade máxima do esporte universitário dos Estados Unidos (http://www.ncaa.org/)

 

Os EUA contam também com a criação do The National Collegiate eSports Association -NCESPA (http://www.ncespa.com/), que visa “unificar os e-Sports colegiados sob um órgão de governo, composto por membros da comunidade”.

Possuem um evento próprio, chamado de National Collegiate eSports Association Grand Championship (NGC), para Counter-Strike: Global Offensive e League of Legends, num modelo de campeonato parecido com a NBA – com conferencias Leste, Oeste, Central, Pacifico – tendo universidades especificas como ponto de encontro e realização do torneio.

A Associação também promove eventos ao longo do ano com debates e fóruns de games.

 

Oficialmente o governo Norte Americano não possui um órgão para ser representante e cuidar dos esportes eletrônico no pais. A NCAA está buscando informações e consultorias para cuidar deste assunto e integrar as regras e diretrizes para guiar, dentro das universidades, a potência que são os esportes eletrônicos.

 

E quanto nossos amigos asiáticos? “China number#1”?

Estão bem à frente. Em matéria da iGames lemos que:

Conselho Olímpico Asiático confirmou que eSport será modalidade com disputa de medalha nos Jogos de 2022

O e-Sport na China é reconhecido oficialmente pelo governo desde 2011. Em 2015, o governo de Taiwan também reconheceu!

Temos universidades com cursos específicos em formação de esporte eletrônico.

Vamos torcer para que o Brasil siga estes passos.

 

Comentário FK Company:

Acreditamos que em breve nosso governo vai acordar e entender a potência dos esportes eletrônicos.

Nos trechos acima reunimos algumas informações de como está se desenvolvendo este cenário. Agora, em nossa linha de raciocínio, se tratando de BRASIL, tudo tem que estar nos parâmetros e guiado pela Lei. Ainda não temos Lei para esporte eletrônico. Temos em aprovação a PL 3450/2015.

Se não temos representante oficiais do governo e leis próprias, o que temos?

Temos Associações Comerciais. Instituição que cobre para você se unir a ela e obter possíveis vantagens no mercado não está errado, porém trata-se de comércio.

Comércio por comércio o assunto não evoluirá. É preciso cuidar e desenvolver.

 

Se não temos Lei para o assunto, não temos oficialmente um órgão do governo para cuidar.

Contudo, a CBDU começou aos poucos sentir a vibração positiva disso. E se tem CBDU, tem o olhar do Ministério dos Esportes.

Dentre as associações que a FK pesquisou e leu a respeito, no Brasil, a que chega no momento mais perto de cumprir direitos e deveres e acompanhar o desenvolvimento é a CBDEL. Que inclusive tem em sua presidência o responsável pelo projeto de lei para deixar reconhecido perante a Constituição o esporte eletrônico.

A CBDEL então não cobra nada em seus eventos? Pelo que vimos, não. As inscrições são sempre gratuitas.

Agora o que percebemos é que para o olhar da CBDEL, para ser chamado de time de esporte, e no caso esporte eletrônico, deve cumprir com o básico e ter um estatuto e ata de fundação registrados no cartório. Com isso seu time vira uma ONG. Essa ONG pode se associar a uma Federação Esportiva e nessa associação há uma taxa anual a ser paga.

Mas então estamos falando de Federações Esportivas de Esporte Eletrônico.

Já existe alguma? Sim. http://cbdel.com.br/portal/index.php/filiados/federacoes (porem a página está com erro!)

Colocamos em pesquisa na internet e vimos que temos algumas com site já:

Federação Paulista (http://fpee.com.br/)

Federação do Rio de Janeiro (https://www.facebook.com/FERJEE/)

Federação de Sergipe (https://www.facebook.com/feseee/)

 

A FK procurou a CBDEL para conversar a respeito do tema e se a instituição tem algum projeto para tal.

Falamos com Ronaldo Geraidine, Diretor de Comunidades e Network da CBDEL, e a notícia que pegamos foi de que a CBDEL é parceira da CBDU e foram eles que operaram o FIFA nas duas edições do JUBs.

Ou seja, a CBDEL está bem inserida no contexto.

 

Seguimos daqui, acompanhando o cenário e sempre que possível compartilhando com vocês.

Grande abraço,

Drakkovich

 

Fontes:

http://www.sportsbusinessdaily.com/Journal/Issues/2017/09/04/Colleges/Esports-NCAA.aspx

https://www.nytimes.com/2017/10/06/sports/esports-ncaa-colleges.html

Aperte start: a evolução do e-sport universitário | Revista BEAT revistabeat.com.br

Torneio Universitário eSports [TUES] - Multi - TeamPlay e-Sports www.teamplay.com.br

www.cbdu.org.br

iGames - iG @ http://igames.ig.com.br/2017-04-19/esport-jogos-asiaticos.html

Deixe um comentario

Enviar