FKCompany
Author Image
Postado Por Drakkovich
2017-01-30 08:00:23

FK Company e o futuro dos e-Sports brasileiros

Mundo afora o cenário dos eSports é bastante animador. Tanto para jogadores e comunidade quanto para patrocinadores e organizações. Torneios com alto nível de competitividade,
premiações milionárias e estrutura de ponta são elementos que enchem os olhos de qualquer atleta.
Em outro aspecto, cada vez mais organizações de variados berços aparecem. Algumas vêm de patrocinadores exclusivos, outras são montadas e mantidas por empresas esportivas, como
times de futebol, basquete, futebol americano, entre outras. Há ainda as equipes que nascem da união de jogadores amigos e caminham à vontade pelos campeonatos.
O Brasil é um país com forte tradição quando o assunto é Internet e jogos de computador. Não por menos o país tem milhares de jogadores com altos níveis nos mais variados jogos. Muitos
destes players, inclusive, estão hoje fora do país, defendendo bandeiras de organizações estrangeiras.
No entanto, mesmo com um cenário favorável, o Brasil ainda engatinha no quesito de formação profissional de atletas, no quesito legislação, na organização e manutenção de um
calendário ativo, sério e altamente estruturado. Existem belos exemplos de campeonatos e iniciativas relacionadas aos eSports, mas tudo ainda embrionário quando se fala em alcançar a
imensa comunidade de jogadores brasileiros.
Algumas previsões apontam que 2017 será um marco para os eSports em todo o mundo. Cada vez mais redes de televisão e comunicação mainstream aderem às transmissões de campeonatos de jogos eletrônicos. Prova disso é a chegada dos canais ESPN, Fox Esportes, Esporte Interativo e até a gigante Rede Globo no palco do esporte eletrônico.
Quando questionado se 2017 é o ano dos eSports no Brasil, Alexandre “Dyno” Muzi, Chefe de Operações e Manager da FK Company se posiciona de modo mais cauteloso. Ele acredita que o cenário internacional terá um grande crescimento, com mais profissionalização, com a chegada de mais patrocinadores, equipes e torneios. Uma consolidação do que tem dado
certo. Mas acredita que no Brasil a coisa será mais lenta.
“O Brasil ainda vai amadurecer muito. Em 2017, as comunidades estarão mais consolidadas, mas a crise que o país vive atualmente vai frear um pouco as iniciativas no cenário dos eSports no país. No entanto, a entrada de emissoras de TV e publicações cada vez mais especializadas sinaliza que, em alguns anos, o mundo dos eSports será realmente grandioso no Brasil."
 
Apesar da cautela, Muzi explica que a FK Company está empenhada em fazer acontecer. Os treinamentos ocorrem interruptamente e o planejamento envolve a criação de novas equipes para mais dois ou até mesmo três jogos ainda em 2017.
 
Já o CEO da FK Company Diogo “Drakkovich” Silva explica que o cenário delicado da economia brasileira é um obstáculo sim, mas não tão grande quanto parece. O Brasil é um celeiro de
bons jogadores e o trabalho de desenvolvimento e evolução das equipes em 2017 está no foco principal da empresa.

 

Deixe um comentario

Enviar